Mauro Serapioni CIAIQ2020

Mauro Serapioni

Universidade de Coimbra (Portugal)

Mauro Serapioni é doutor em Sociologia pela Universidade de Barcelona (2003). Desde 2009, é pesquisador sénior do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (Portugal) e professor do programa de doutoramento em “Democracia no Século XXI” do CES e da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (Portugal). Atualmente, é professor visitante no Curso de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Suas principais áreas de pesquisa incluem participação social nos sistemas de saúde, desigualdades sociais de saúde e avaliação de programas sociais e de saúde. É autor de inúmeras publicações em periódicos nacionais e internacionais nessas áreas.

Métodos qualitativos e quantitativos: premissas teóricas e epistemológicas para promover estratégias de aproximação e complementaridade
Nesta apresentação, são identificadas e discutidas as reflexões teóricas e epistemológicas de vários autores internacionais que têm contribuído para superar a tradicional aspereza e polarização entre as diversas perspetivas e métodos de aproximação da realidade (construtivismo versus realismo, estrutura versus sujeito e qualitativo versus quantitativo). Após anos de conflitos e acrimoniosos debates na nova fase, as divergências e desacordos tendem a assumir posições e tons menos radicais e, gradualmente, vai emergindo um consenso de que o grande desafio é combinar, de forma apropriada, os métodos, as perguntas e as questões empíricas e não defender uma única abordagem metodológica para todos os problemas. Entretanto, este debate quantitativo-qualitativo, agora com mais de trinta anos, tem contribuído para o reconhecimento de importantes abordagens e métodos de investigação, tais como estudos de caso, etnografias, observação participante, e diversas técnicas de recolha e análise de dados qualitativos, hoje parte integrante do repertório de investigadores e avaliadores. Hoje em dia aos métodos qualitativos é reconhecida a mesma respeitabilidade e o mesmo status dos métodos quantitativos. A continuação deste debate, porém, desvia muita da energia intelectual das questões mais prioritária, considerando-se, por isso, urgente sair dessa zona de conflito, e começar a olhar para a forma de aprofundar e melhorar a qualidade e a credibilidade da análise qualitativa.