Oradores Anteriores

Egberto Turato CIAIQ2019Egberto Ribeiro Turato, médico especialista pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Professor Titular em Prática de Ciências, concursado pela Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas, Estado de São Paulo, Brasil. Líder do LPCQ – Laboratório de Pesquisa Clínico-Qualitativa, credenciado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador de mestrados/doutorados nas áreas de Saúde Mental, Saúde da Mulher e Oncologia, com pesquisas em settings hospitalares de complexidade. Autor do ‘Tratado da Metodologia da Pesquisa Clínico-Qualitativa: Construção Teórico-epistemológica, Discussão Comparada e Aplicação nas Áreas da Saúde e Humanas’, 6ª ed., Editora Vozes. Autor do hot paper ‘Qualitative and quantitative methods in health: definitions, differences and research subjects’, disponível aqui >>

Miguel Vicente Mariño (Pontevedra, 1980) es Profesor Titular en el Departamento de Sociología y Trabajo Social de la Universidad de Valladolid (UVa), adscrito desde 2006 a la Facultad de Ciencias Sociales, Jurídicas y de la Comunicación, situada en el Campus María Zambrano de Segovia. Por lo que concierne a su formación, es Doctor en Comunicación Audiovisual por la Universitat Autònoma de Barcelona (UAB, 2009), Licenciado en Sociología por la misma universidad (2006) y Licenciado en Periodismo por la Universidade de Santiago de Compostela (USC, 2002).
Su tesis doctoral, un estudio sobre la cobertura televisiva de la crisis del Prestige, recibió en octubre de 2011 el Premio del Congreso de los Diputados a la mejor tesis sobre periodismo. Desde junio de 2013 es el Coordinador del Grupo de Investigación Reconocido en Ciencias Sociales Aplicadas de la Universidad de Valladolid y desde 2007 es miembro de Mediación Dialéctica de la Comunicación Social, grupo de investigación perteneciente a la Universidad Complutense de Madrid (UCM) y dirigido por José Luis Piñuel.

Suely Ferreira Deslandes é graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense (1990), mestre em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (1993) e doutora em Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz (2000). É pesquisadora Titular da Fundação Oswaldo Cruz, professora permanente do Mestrado e Doutorado em Saúde da Criança e da Mulher (PGSCM-IFF) e do Mestrado e Doutorado em saúde pública da ENSP. É editora associada dos Cadernos de Saúde Pública e da coleção Criança, Mulher & Saúde -Ed. Fiocruz. Participa do conselho editorial da revista Salud Colectiva. Atuou como coordenadora do Programa PGSCM-IFF em 2010-2012. Tem atuado nas comissões da Capes para avaliação dos programas de pós graduação em saúde coletiva. Atua como professora colaboradora na Universidad de Lanús. Áreas temáticas: Sociologia da saúde, violência e Saúde, avaliação de programas e serviços e metodologias qualitativas.

Prof. Aldo AmeigeirasProfesor Aldo Rubén Ameigeiras es investigador y docente titular del Instituto del Desarrollo Humano de la Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS, Argentina). Investigador Principal del CONICET. Director de la maestría en Interculturalidad y Comunicación – IDH-UNGS. Profesor de posgrado en la actualidad en UNGS /Universidad Nacional de Rosario y Universidad Nacional de Cordoba. Miembro del Equipo de Métodos cualitativos y del Área de Religión, Cultura y Sociedad del CEIL-PIETTE (Centro de Estudios e Investigaciones Laborales CONICET). Ex becario del CONICET y del programa de Intercambio Cultural Argentino-Alemán. Investigador Senior en el Centre d’Etudes Interdisciplinaires des Faits Religieux en la EHESS-París (ECOS). Autor de numerosos trabajos e investigaciones vinculadas al área de Sociología de la Religión y la Cultura. Sus temas de investigación se centran en: Religión, migración y periferia urbana. Trayectorias y creencias y procesos identitarios en migrantes de sectores populares del Gran Buenos Aires. Proyectos de investigación vinculados con la UNGS: “Matrices culturales e interculturalidad. La problemática de la diversidad cultural en el contexto urbano”, “Religión y democracia en la Argentina: instituciones, grupos, actores y sectores sociales” y “La mediación de la Iglesia Católica en la Mesa del Diálogo Argentino en el contexto de la crisis en la Argentina actual”.

António Dias de Figueiredo é professor catedrático aposentado do Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra (CISUC), onde se dedica à investigação em “Sistemas de Informação nas Organizações”, “TIC na Aprendizagem e na Educação”, “Estratégia e Qualidade na Educação Superior” e “Métodos de Investigação Qualitativa”. Exerce também atividade de consultoria em regime independente. É autor e coautor de mais de três centenas de artigos e apresentou cerca de quatro centenas de comunicações no País e no estrangeiro. Entre os seus capítulos em livros mais recentes, destacam-se “On the Historical Nature of Engineering Practice” (2013), “The Sustainability of e-Collaboration” (2008) e “Action Research and Design in Information Systems: Two Faces of a Single Coin” (2007). Integrou cerca de duas centenas de comissões organizadoras e comissões científicas de conferências realizadas em Portugal e no estrangeiro. É membro dos conselhos editoriais e consultivos do “International Journal of e-Collaboration”, da “Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão” e da revista “Educação, Formação & Tecnologias”.

A Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade* [Descarregar apresentação]

MTAngueraM. Teresa Anguera Argilaga, é professora catedrática de Metodologia das Ciências do Comportamento da Faculdade de Psicologia da Universidade de Barcelona. É licenciada em Psicologia e em Direito e doutorada em Psicologia pela Universidade de Barcelona. As suas linhas de investigação são a metodologia observacional, a avaliação de programas de baixa intervenção e os métodos mistos de investigação. Coordenou 19 projectos de investigação competitivos comparticipados pela administração pública, assim como um Grupo de Investigação consolidado pela Generalitat de Catalunha. É autora ou co-autora de 34 livros, 119 capítulos de livros, 214 artigos e 414 comunicações. Orientou ou co-orientou 53 teses de doutoramento já defendidas. Tem 6 sexénios de investigação. É académica numerária da Real Academia de Doutores e membro correspondente da Real Academia de Medicina da Catalunha. No que concerne à gestão, foi Secretaria da Faculdade de Psicologia, Chefe de Estudos da Titulação de Psicologia, Directora do Departamento de Metodologia das Ciências do Comportamento, responsável da Secção de Investigação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade de Barcelona, Vice Reitora de Política Científica da Universidade de Barcelona e Vice Reitora de Política Docente e Científica da Universidade de Barcelona.

Desde el relato cualitativo al análisis cuantitativo no convencional: Rigor en la extracción de patterns y estructuras en el microanálisis comunicativo* [Descarregar apresentação]

João Filipe Matos é Professor Catedrático no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa onde iniciou a sua atividade em 1983 e é investigador da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação e Formação. Com formação de base em Engenharia Mecânica  e em Matemática, conduziu durante 25 anos a sua atividade de investigação no domínio da educação matemática tendo sido presidente do International Group for the Psychology of Mathematics Education. A atividade de investigação atual desenha-se no quadro do projeto de investigação iTEC – Innovative Technologies for an Engaging Classroom e do projeto Future Teacher Education Lab (http://ftelab.ie.ulisboa.pt). Coordena o E-learning Lab da Universidade de Lisboa (http://elearninglab.ulisboa.pt) e é diretor do programa de doutoramento FCT Technology Enhanced Learning and Societal Challenges (http://telsc.ie.ulisboa.pt) tendo lecionado unidades curriculares de metodologias de investigação qualitativa em cursos de pós-graduação nas Universidades de Lisboa, Madeira, Açores, Cabo Verde e Macau. Foi diretor da Revista de Educação e é atualmente membro da direção da Revista Sisyphus Journal of Education. (idioma da palestra: Português)

NachoJosé Ignacio Rivas Flores, é professor catedrático do Departamento de Didáctica e Organização Escolar da Universidade de Málaga, onde iniciou a sua actividade em 1985. Desde que concluiu a tese de doutoramento, a sua investigação orientou-se em relação aos métodos quantitativo e etnográfico, confluindo nos últimos vinte anos na investigação biográfica e narrativa. Desde 1995 coordena o grupo de investigação ProCie (código HUM619, do plano de Investigação de Andaluzia). A orientação da sua investigação centra-se em três linhas: por um lado, mantém o foco sobre a organização das instituições educativas, por outro, inicia o interesse pelo desenvolvimento profissional dos professores, especialmente a partir da sua cultura profissional e, por último, no campo da política educativa. Participou em cursos e seminários de pós graduação e de formação de professores sobre esta temática, tanto em Espanha como na América Latina e Roménia. Durante toda a sua trajectória universitária de docência permaneceu ligado a disciplinas de organização escolar e, desde a criação da licenciatura de Psicopedagogia, ao desenvolvimento profissional dos professores. No doutoramento, além de materiais relacionados com estes campos, manteve uma presença constante nas disciplinas de metodologia da investigação qualitativa. (idioma da palestra: español)

Maria Cecília de Souza Minayo possui graduação em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1978), graduação em Ciências Sociais – City University of New York (1979), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985) e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (1989). Desde 1997 é editora científica da revista Ciência & Saúde coletiva da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e pesquisadora titular da Fundação Oswaldo Cruz. Tem experiência na área de Saúde Pública, com ênfase em Saúde Coletiva, atuando como professora, pesquisadora e orientadora principalmente nos seguintes temas: antropologia da saúde, metodologia de pesquisa social, metodologia da pesquisa social em saúde pública, violência e saúde, causas externas, violência, saúde coletiva e saúde e sociedade. Já orientou 68 teses e dissertações, publicou 177 artigos científicos, 125 capítulos de livros e 41 livros sendo 8 individualmente e 34 como organizadora e em colaboração. É membro do conselho editorial de 13 revistas científicas, sendo 4 estrangeiras  e desde 2013 é Editora Regional da Revista Environmental Health Perspectives dos EEUU. Premiada pela Presidência da República com a comenda de Direitos Humanos em 2014.

Vídeo da Palestra “O legado da Pesquisa Qualitativa

Menga Lüdke, é licenciada em Filosofia, USP (1956), doutorado em Sociologia, Universidade de Paris X (1969),  pós-doutorado Universidade da Califórnia, Berkeley (1981/82) e  Instituto de Educação da Universidade de Londres (1985/86). Pesquisadora convidada: Universidade Jules Verne, Amiens, França (2004); Institut Nationale de Recherche Pédagogique, Lyon, França (2005) e College of Education da Universidade de Cambridge (2008). Professora titular da PUC-Rio e da Universidade Católica de Petrópolis, UCP. Experiência de pesquisa na área de educação, sobre problemas da formação, pesquisa e profissão docentes, socialização profissional de professores e avaliação escolar. Coordena o GEProf (Grupo de Estudos sobre a Profissão Docente), com estudantes de pós-graduação e graduação da PUC-Rio e da UCP, estudando no momento os problemas do estágio supervisionado como um dos aspetos mais frágeis na formação de professores, com bolsa do CNPq –  Nível  1A.

Vídeo da Palestra “Educação e Pesquisa Qualitativa no Brasil

Maria Aparecida Bicudo possui graduação em Pedagogia Licenciatura pela Universidade de São Paulo (1963), graduação em Pedagogia Bacharelado pela Universidade de São Paulo (1963), mestrado em Educação Orientação Educacional pela Universidade de São Paulo (1964) e doutorado em Ciências pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Rio Claro (1973). Livre-docente em Filosofia da Educação, UNESP-Araraquara, 1978. Professora titular da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho 1988. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, educação matemática, fenomenologia, educação e filosofia da educação matemática. Research Fellow na University of California, Berkeley, Professora convidada da Facoltà di filosofia dellUniversità Lateranense di Roma, Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNESP, campus de Rio Claro, foi coordenadora e vice coordenadora do PGEM da UNESP, Co-Editora do Boletim de Educação Matemática, Pró-Reitora de Graduação da UNESP de 1993 a 2001, Membro do CA-CNPq de 2011 a 2014.

Vídeo da Palestra “Internet e Investigação Qualitativa, que ameaças e oportunidades?” – Parte 2/2

Francislê Neri de Souza tem pós-doutoramento em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) aplicados ao Ensino de Ciências (2008), é doutor em Educação em Ciência (2006) com ênfase em Educação em Química, mestre em Química Quântica Computacional (1998), Licenciatura em Química (1995). Ele atualmente trabalha como professor na Universidade de Aveiro – Portugal, onde também orienta estudantes de mestrado e doutoramento nas suas áreas de especialidade. Ele é co-autor de alguns software tal como WebQDA®, IARS®, ArguQuest®, FlexQuest®, e U-TRACER®. É fundador e editor chefe do Internet Latent Corpus Journal. Ele também é consultor e autor de artigos, relatórios, livros e capítulos de livros no campo da aprendizagem ativa, questionamento, metodologia da investigação, educação em Ciência e Educação em Química com integração das Tecnologias da Informação e Comunicação.



Vídeo da Palestra “Internet e Investigação Qualitativa, que ameaças e oportunidades?” – Parte 1/2

César A. Cisneros-Puebla,  é professor de Sociologia na Universidade Autónoma Metropolitana-Iztapalapa, México. Leciona cursos sobre Métodos Qualitativos e Epistemologia das Ciências Sociais. Foi professor convidado do Instituto para a Investigação Qualitativa da Universidade de Alberta, Canadá (2001-2003) e no projeto CAQDAS do Departamento de Sociologia da Universidade de Surrey, UK (2009), assim como em universidades da América do Sul e Espanha. É autor da versão espanhola, incluindo os exemplos de projetos, dos programas ATLAS.ti, MAXQDA, QDAMiner e INTERACT e revisor técnico da versão espanhola de NVivo. É consultor de Computação Qualitativa e Investigação na América do Sul e em outras partes do mundo. Pertence ao Conselho Editorial de revistas tais como: Qualitative Sociology Review, Qualitative Research in Psychology, Qualitative Health Research, International Review of Qualitative Research, Departures in Critical Qualitative Research, entre outras. É o editor da versão espanhola da revista digital FQS FQS (Forum Qualitative Sozialforschung / Forum: Qualitative Social Research). Nesse âmbito publicou artigos e entrevistas com reputados investigadores como Juliet Corbin, Janice Morse y Kenneth Gergen. A entrevista com Juliet Corbin foi traduzida ao alemão como “Lernen konzeptuell zu denken” em Günter Mey & Katja Mruck (Hrsg.) (2011), Grounded Theory Reader. 2., aktualisierte und erweiterte Auflage.Netherlands: VS Verlag.



Vídeo da Palestra “Analítica de Textos y Computación Cualitativa: Nuevos Retos para Tiempos Cambiantes

Clara Pereira Coutinho é Licenciada em Economia, Mestre em Educação na área de especialização de  Tecnologia Educativa e Doutora em Educação na área de especialização de Tecnologia Educativa, grau que obteve no ano de 2003 na Universidade do Minho, Braga, Portugal. Atualmente é Professora Auxiliar do Departamento de Estudos Curriculares e Tecnologia Educativa da mesma Universidade, onde desenvolve atividades de docência em cursos de mestrado e doutoramento na área das Ciências da Educação. Tem desenvolvido atividades de pesquisa no âmbito da Formação de Professores em Tecnologias de Informação e Comunicação e ainda no domínio das Metodologias de Investigação em Educação. Mais recentemente, desenvolve investigação ao nível da utilização educativa das ferramentas da Web 2.0 como ferramentas de apoio ao ensino e à aprendizagem bem como à tutoria online, tendo publicadas dezenas de artigos em revistas e atas de reuniões científicas nacionais e internacionais. Participa em diversos projetos nacionais e internacionais na área do e-learning, manipulativos digitais para crianças e Digital Storytelling. Publicou dois livros um dos quais no domínio das Metodologias de Investigação em Ciências Sociais e Humanas que teve a sua 2ª edição publicada em 2013. Informação adicional pode ser encontrada na sua página pessoal disponível em http://sites.google.com/site/ccoutinho

Emiko Yoshikawa Egry é enfermeira, mestre em enfermagem, doutora em saúde pública e livre docente em enfermagem em saúde coletiva. Atualmente é Professora Titular do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Há décadas desenvolve estudos e pesquisas buscando sistematizar uma metodologia de intervenção em saúde coletiva, norteada pelo referencial do materialismo histórico e dialético.  Tem vasta experiência no ensino de graduação e pós-graduação em enfermagem em saúde coletiva. Orienta pesquisadores de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado. Foi Diretora da Escola de Enfermagem da USP de 1999 a 2003. Produziu livros, capítulos de livros e artigos publicados em periódicos internacionais, cujos temas mais destacados foram: bases teórico-metodológicas da enfermagem em saúde coletiva; trabalho e processo de trabalho em saúde e em enfermagem; classificação internacional das práticas de enfermagem em saúde coletiva – Cipesc; necessidades em saúde; competências da enfermagem em saúde coletiva; internações sensíveis à atenção primária à saúde  – ICSAP; e mais recentemente sobre prevenção e enfrentamento da violência infantil na perspectiva de qualificação da força de trabalho. É pesquisadora produtividade do CNPq A1 e  Editora Científica da Revista da Escola de Enfermagem da USP, periódico com 46 anos de existência, JCR 0,455 e indexado nas principais bases de dados como a Scielo, ISI e Scopus. Desenvolve atualmente, juntamente com  o grupo de pesquisa, o projeto “Instrumentalizando os profissionais da Atenção Básica em Saúde para o enfrentamento da violência infantil”, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP, em edital conjunto com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal – FMCSV.

Juan Zarco (Madrid, 1970) é professor do Departamento de Sociologia da Universidad Autónoma de Madrid (UAM). Anteriormente, foi professor na Universidad Complutense de Madrid, na Universidad Pública de Navarra e na Essex University (Reino Unido) onde ocupou o lugar de Visiting Fellow no Departamento de Sociologia financiado por uma bolsa de pós doutoramento no estrangeiro atribuída pelo Ministério da Educação, Cultura e Desporto de Espanha. Foi co-director do Diploma de Formação Superior de Investigação Qualitativa em Saúde e da Especialização em Investigação Qualitativa em Saúde, ambos títulos da UAM. Actualmente, é membro da Comissão Executiva da Asociación Madrileña de Sociología. Relativamente aos campos de investigação em que trabalhou, destaca-se a sua experiência em distintos aspectos relacionados com a Saúde, o corpo, a deficiência, a marginalização, a educação, a ideia de geração, a história da Sociologia espanhola ou a cultura política, áreas em que publicou numerosos livros, capítulo e artigos em revistas especializadas. Desde alguns anos a sua preocupação central gira em torno dos aspectos metodológicos da investigação em Sociologia, muito especialmente sobre metodologia qualitativa. Como base neste paradigma está a explorar as possibilidades do uso de audiovisuais no processo de investigação. É co-autor da curta-metragem documental “5 segundos” baseada numa investigação qualitativa sobre deficiência que foi projectada e discutida em distintos fóruns internacionais e nacionais (https://www.youtube.com/watch?v=ahfQvO9yZaE).

Mary Cruz Sanchez Gomez CIAIQ2019Mª Cruz Sánchez Gómez Licenciada e Doutora em Ciências da Educação pela Universidade de Salamanca e Mestre em Logopedia pela Universidade Pontifícia de Salamanca. Professora titular do Departamento de Didáctica, Organização e Métodos de Investigação da Universidade de Salamanca, especializada em Metodologia de Investigação Qualitativa. Membro de grupos de investigação espanhóis considerados de excelência. As suas áreas de trabalho estão relacionadas com as Tecnologias de Informação e Comunicação, grupos em risco de exclusão social e avaliação educativa. Orientou o grupo de investigação sobre “Género e deficiência” do Instituto de Integração na Comunidade da Universidade de Salamanca (INICO). Na actualidade, coordena los projectos de investigação de carácter qualitativo do Centro Internacional de Tecnologias Avançadas (Fundação Germán Sánchez Ruipérez-CITA) e da Fundação INTRAS (Povoação em risco de exclusão social). É directora de numerosas teses de doutoramento e tem uma ampla produção científica na forma de artigos e livros, todas elas vinculadas com investigações de carácter qualitativo. Igualmente, manifesta especial interesse pela transferência de conhecimento ao sector produtivo em actividades de investigação neste âmbito. Como membro da Fundação Universidades de Castilla y León (2007-2010), coordenou a Semana da Ciência, participou no desenvolvimento dos prémios “Campus Empreende” e na realização de “Encontros com a Cultura” das Universidades castelhana e leonesas. Efectuou cursos, seminários e oficinas em empresas, promovendo a transferência de resultados ao sector produtivo e fez parte de iniciativas como “Ciência nas nossas mãos” para estudantes ou “Tecnologia nas nossas mãos” para seniores. Pertence a várias redes internacionais de investigação e realizou estâncias de investigação em centros de reconhecido prestígio, principalmente internacionais, em particular na Universidade de Surrey, Inglaterra. Além disso, é avaliadora em vários comités científicos de editoriais de revistas e participou na organização e apresentação de trabalhos de investigação em Congressos, Jornadas e Seminários nacionais e internacionais no âmbito da Educação. Desde Março de 2007 até Outubro de 2010 coordenou o Serviço de Formação Contínua da Universidade de Salamanca tendo a seu cargo toda a docência não regulada desta Universidade: cursos extraordinários, formação contínua, cursos de verão, congressos, jornadas, seminários e títulos próprios.

Maria do CéRoldão é doutorada em Teoria e Desenvolvimento Curricular pela Simon Fraser University, Vancouver, Canadá e agregada em Educação pela Universidade de Aveiro, Portugal.  Exerceu funções docentes no Ensino Superior Politécnico e Universitário, tendo-se aposentado como professora Coordenadora na Escola Superior de Educação de Santarém. È actualmente professora convidada na Universidade Católica Portuguesa. Participou em diversos projectos da OCDE em representação do Instituto de Inovação Educacional, de que foi vice-presidente, e trabalhou como consultora curricular em projectos da Unesco para  a América Latina, e também em projectos de cooperação com Moçambique. Tem sido, em diversos contextos, consultora do Ministério da Educação na área do currículo. Foi docente de História no ensino básico durante dezoito anos. Os seus principais interesses científicos situam-se na área do Currículo e Teoria Curricular e Profissionalidade e Formação de Professores. As suas publicações científicas nestes domínios incluem numerosos livros e artigos em revistas científicas da especialidade.

ISABEL ALARCÃO é licenciada em Letras pela Universidade de Coimbra (P), mestre em Currículo e Instrução pela Universidade do Texas (EUA) e doutorada em Educação pela Universidade de Liverpool (UK). Na Universidade de Aveiro exerceu os cargos de Vice-Reitora e Reitora e lecionou até se aposentar com o professora catedrática. Autora de vários livros e artigos e muito estimada no país e no Brasil pelas suas intervenções em Congressos e Encontros científicos, é conhecido o seu trabalho no âmbito da formação de professores, tendo influenciado o pensamento sobre o papel das Didácticas das disciplinas e dedicado muita atenção à teoria e à prática da Supervisão. Tem-se dedicado também a temática do desenvolvimento profissional dos professores e das escolas numa perspetiva reflexiva. Outra área de interesse, mais recente, incide sobre os processos de revisão de literatura científica com vista à sistematização do conhecimento e sua divulgação, tendo publicado recentemente um livro, em coautoria, sobre esta temática. Para além da orientação de mestrados e doutoramentos e da coordenação de projetos, tem exercido funções de consultoria e avaliação e integrado corpos editoriais de revistas educacionais.

JOÃO AMADO é Doutor e Mestre em Ciências da Educação e Licenciado em Filosofia. Actualmente Professor Associado com Agregação, Aposentado, da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, foi também professor da Universidade de Lisboa e Professor Efectivo do Ensino Secundário. Tem coordenado e participado em vários projectos de investigação nacionais e internacionais, foi coordenador decursos de formação a distância (VGCE do UC_D) e é autor e co-autor de livros e artigos sobre temáticas como a indisciplina e violência na escola, bullying e cyberbullying, metodologia da investigação qualitativa, epistemologia, pedagogia do ensino superior, etnografia e história da infância.

IRIA BRZEZINSKI é Professora Titular da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) e da Universidade de Brasília (UnB). Ciêntista Social e Orientadora Educacional pela Universidade Federal do Paraná. Mestre em Planejamento Educacional pela UnB e Doutora em Administração Educacional e Economia da Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Vice Reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UCG (1988-1990). Fundadora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da PUC Goiás (1997-2001 e 2008-2010). Fundadora da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação e Presidente (1996-1998 e 2008-2012). Membro do Comitê Científico do GT Formação de Professores da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (Anped).Vice Presidente da Assembleia Geral do Centro de Investigação, Difusão e Intervenção Educacional (CIDInE/PT). Pesquisadora Nível 1, bolsista produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

MARIA MARLY DE OLIVEIRA é cearense, Pedagoga, Mestra em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE-Brasil. PhD em Educação pela Universidade de Sherbrooke-Quebec-Canadá. Ex-Diretora do Departamento de Educação da UFRPE e da Faculdade Pernambucana – FAPE. Líder do grupo de Pesquisa Formação de Professores da UFRPE/CNPq. Educadora e pesquisadora comprometida com posturas inter e transdisciplinares, adotando como carro-chefe de suas pesquisas, o Círculo hermenêutico–dialético (CHD), articulado com a Dialogicidade (Paulo Freire) e o Pensamento Complexo (Edgar Morin). Atualmente, é professora do quadro permanente do Mestrado e Doutorado em Ensino das Ciências e Matemática da UFRPE. Autora de vários livros, artigos científicos, é também autora de uma nova proposta de pesquisa qualitativa, denominada Metodologia Interativa e de uma proposta didática-pedagógica que tem a denominação de Sequência Didática Interativa (SDI).